Qual é o seu perfil de investimento?

Qual é o seu perfil de investimento?

Escolher o tipo de investimento adequado às nossas necessidades é uma tarefa que demanda muita reflexão.

São diversos os fatores que influenciam nesta escolha, mas os principais deles são:

– Prazo, ou seja, o tempo em que você manterá seu investimento. Quanto maior este prazo, maior a possibilidade de se recuperar em eventuais perdas. Assim, aplicações com maior percentual de renda variável (ações, por exemplo) são mais indicadas a quem possui tempo para arriscar;

– Perfil em relação à tolerância ao risco, ou seja, sua capacidade de se manter tranquilo e em equilíbrio, independentemente das possíveis perdas que seu investimento sofrer nas oscilações normais de rentabilidade do mercado financeiro.

Compreender melhor o mercado financeiro, entender um pouco de economia e estar atento às notícias também ajudam o investidor a escolher a opção mais correta e aproveitar o melhor de cada investimento, seja ele de alto ou baixo risco.

Enfim, conheça seu perfil antes de optar pelo fundo que mais se enquadra a ele, pois esta é uma decisão que só você pode tomar.

A seguir, oferecemos um teste de Perfil de Risco, uma ferramenta que pode te auxiliar nesta reflexão, mas não é a única e nem principal fonte de informação que você deve procurar – https://www.easynvest.com.br/primeiros-passos.html

Em relação aos riscos de se investir em Mogno Africano, uma pesquisa publicada por acadêmicos de Ciências Agrárias e Florestais do Piauí e de Minas Gerais aponta que a probabilidade de ser um investimento inviável é quase zero, uma vez que o Mogno Africano proporciona altos valores de juros, entre 14% e 25%, que é superior à maioria das taxas de retorno financeiro disponíveis no mercado. Confira o artigo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542018000200148

Cotação de Mogno Africano

Cotação de Mogno Africano

A Organização Internacional de Madeiras Tropicais (ITTO, sigla em inglês) divulgou o relatório do mercado de madeiras dos primeiros 15 dias de 2019.

Confira os valores venais de vendas de Mogno Africano realizadas em Ghana: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
– Madeira para exportação em lâmina de painel – 2,162 € / m³
– Madeira para exportação serrada (secagem natural) – 1045 € / m³ ⠀⠀⠀⠀⠀
– Madeira para exportação serrada (secagem em estufa) – 979 € / m³ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀

Análise financeira e de risco em plantios de Mogno Africano no Brasil

Análise financeira e de risco em plantios de Mogno Africano no Brasil

Artigo publicado por acadêmicos de Ciências Agrárias e Florestais do Piauí e de Minas Gerais mostra a viabilidade do investimento em Mogno Africano no Brasil.

A partir de uma avaliação econômica da implantação de florestas de mogno africano com base em diversas perspectivas de manejo, como a silvicultura  a conclusão é de que a probabilidade de ser um investimento inviável é quase zero, principalmente porque o Mogno Africano proporciona altos valores de juros, entre 14% e 25%, o que é superior à maioria das taxas de retorno financeiro disponíveis no mercado.

Leia a publicação completa: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542018000200148

Mogno Africano: Orçamento para começar

Mogno Africano: Orçamento para começar

Investir em Mogno Africano é sempre muito rentável. Mas você ainda não tem ideia de quanto custará para implantar suas florestas? Pois aqui estão os principais fatores para iniciar seu orçamento:

  • Topografia
  • Temperatura da sua região
  • Análises de solo (de 0 a 20 centímetros e de 20 a 40 centímetros de profundidade)

Com a análise física e química do seu solo, junto com o cálculo dos valores de mão-de-obra e maquinário, nós conseguimos produzir um orçamento mais realista possível do quanto você precisa para investir em Mogno Africano.

“Observamos as diferenças pontuais de cada região, o custo de mão-de-obra, se o serviço será terceirizado com a locação de máquina ou se o investidor já possui o maquinário, se a topografia é muito acidentada, entre outros. De toda forma, podemos definir os custos. De posse de todos esses dados, nós temos condição de fazer uma aproximação mais realista de cada caso para fazer o orçamento”, explica o sócio-proprietário da Mudas Nobres, Canrobert Tormin Borges.

https://youtu.be/m0mbUVL3f14

Balanço 2018 e Expectativas para 2019

Balanço 2018 e Expectativas para 2019

A Mudas Nobres trabalhou muito este ano para que o investimento e o cultivo de Mogno Africano fossem ampliados e consolidados no Brasil.

Em 2019, pretendemos trabalhar ainda mais para elevar o número de árvores de reflorestamento, com a melhor rentabilidade do mercado! 

Preparamos um vídeo especial para nossos investidores, clientes, parceiros e colaboradores com um balanço de 2018 e quais as nossas expectativas para 2019. Desejamos a todos um Feliz Natal e um próspero Ano Novo.

Mogno Africano: Assistência Técnica

Com o objetivo de auxiliar os diversos investidores de Mogno Africano espalhados pelo Brasil, a Mudas Nobres realiza o trabalho de assistência técnica. Para isso, é necessário que os produtores rurais documentem todo o processo de cultivo, desde a análise de solo, antes de fazer o plantio, até as altas florestas.

Entre os especialistas que prestam assistência técnica está o sócio-proprietário da Mudas Nobres, Canrobert Tormin Borges. O trabalho é feito, muitas vezes, de forma remota, principalmente se a lavoura estiver localizada em outros estados e se for alguma necessidade urgente.

“Para facilitar esse processo de resolução de problemas remotamente, por telefone ou vídeo, nós sugerimos que os investidores documentem passo a passo da sua lavoura. […] É preciso criar o histórico da floresta, tirar fotos, filmar, caso apareça algum problema, algum inseto que você ache que esteja causando dano”, explica.

Desta forma, para detectar qualquer novidade nas florestas de Mogno Africano, o investidor precisa observar constantemente o desenvolvimento das árvores. Documentar a evolução do seu investimento, também auxilia na implantação do Inventário Florestal.

“A criação desse histórico facilita a produção de um retrospecto e um prognóstico futuro do que está acontecendo junto ao Inventário Florestal, que vocês vão criar um histórico de desenvolvimento fitossanitário, desenvolvimento das plantas no decorrer do cultivo”, afirma Canrobert Borges.